Aquário Vasco da Gama

Aquário Vasco da Gama

O Aquário Vasco da Gama, inaugurado em 1898, funciona atualmente como aquário e museu para a divulgação da vida aquática. Este espaço foi um dos primeiros aquários do mundo e é um dos principais museus vivos do país, caracterizado pela diversidade de espécies existentes.

O projeto para a criação do Aquário Vasco da Gama teve um importante apoio do Rei D. Carlos I, considerado o pioneiro da Oceanografia em Portugal, e foi elaborado no âmbito das comemorações do IV centenário da partida de Vasco da Gama na descoberta do caminho marítimo para a Índia.

A influência de D. Carlos I

O rei D. Carlos I, nascido em 28 de Setembro de 1863, desde jovem demonstrou como uma das suas aptidões a observação da natureza e por influência do seu pai D. Luís I obteve uma admiração pelo mar que se refletiu ao longo da vida. Esta influência também se acentuou com o contacto com o Príncipe Alberto do Mónaco, o que resultou na decisão de D. Carlos I explorar cientificamente a costa portuguesa.

Deste modo, em 1 de Setembro de 1896 o Rei D. Carlos I iniciou a primeira de doze campanhas oceanográficas na costa portuguesa, que se realizaram até 1907, que incidiram principalmente no estudo de peixes marinhos de profundidade, visto que estes apresentavam importância económica para a indústria piscatória portuguesa.

Foto do exterior do Aquário Vasco da Gama, em Oeiras
Vitor Oliveira, Wikimedia Commons

Esta diversidade de estudos efetuados e o empenho na divulgação científica contribuíram para desde logo a inauguração existir uma exposição temporária, em que eram apresentar exemplares zoológicos obtidos por D. Carlos I nas campanhas oceanográficas que já tinha realizado em 1896 e 1897.

As exposições e expansão do edifício

Quanto a exposições permanentes, a primeira ocorre em 1913, em que foi apresentada uma exposição marítimo-fluvial, a qual teve um elevado êxito e acabou por ter origem no núcleo primitivo do museu, com a demonstração de peixes conservados em meio líquido e diversos modelos de barcos.

Nos anos seguintes, foi construído um andar sobre a fachada principal do edifício e o museu aumentou o número e diversidade de espécies apresentadas, o que ocorre com maior impacto quando a exposição temporária do Rei D. Carlos I, realizada na inauguração, regressa ao Aquário Vasco da Gama. A coleção do Rei, inicialmente guardada no Palácio das Necessidades, foi entregue à Liga Naval Portuguesa em Fevereiro de 1910 após a sua morte, e entregue ao Aquário Vasco da Gama em 1935, com cerca de 2220 espécimes, diversos instrumentos científicos da época e mais de 600 livros, ilustrações e manuscritos da biblioteca científica do Rei D. Carlos I.

Organização do espaço

O Aquário Vasco da Gama encontra-se organizado em quatro grandes núcleos, sendo estes a Coleção Oceanográfica de D. Carlos I, a Sala dos Tubarões, a Sala de malacologia das costas portuguesas e a Sala das aves, mamíferos marinhos e mostra de conchas exóticas. Neste espaço é possível observar espécies animais e vegetais dos diversos grupos zoológicos e botânicos, com origem de ecossistemas de água doce, salgada e salobra.

Apesar das espécies apresentadas terem origem em diferentes países, a fauna da costa portuguesa está presente em maior número e com destaque, sendo também possível conhecer animais de difícil manutenção em cativeiro, tais como animais de grande porte, de zonas profundas e espécies raras.

Informação Geral

Morada: Rua Direita do Dafundo, 1495-718 Cruz Quebrada

Horário: Todos os dias das 10h00 às 18h00 | Última entrada às 17h30

Email: aquariovgama@marinha.pt

Telefone: (+351) 214 205 000

Website: Comissão Cultural da Marinha

Transporte: Autocarros 723, 729, 750,751, 76 (Carris) e Autocarros 1, 6 (Vimeca). Elétrico 15 (Carris) | Comboios Linha de Cascais – Estação de Algés (CP)

Mapa

Cronologia

→ 1896 a 1907: Rei D. Carlos I realiza doze campanhas oceanográficas na costa portuguesa
→ 20-05-1898: Inauguração do Aquário Vasco da Gama
→ Fevereiro de 1910: Coleção do Rei D. Carlos I, reunida com o objetivo de criar um Museu Oceanográfico, foi entregue à Liga Naval Portuguesa após a sua morte
→ 1913: Realização da primeira exposição permanente
→ 1935: Coleção Oceanográfica do Rei D. Carlos I foi entregue pela Liga Naval Portuguesa ao Aquário Vasco da Gama
→ 20-05-1943: Reabertura após diversas intervenções

Partilhar

Deixar uma resposta

Fechar