Basílica da Estrela

Basílica da Estrela

A Basílica da Estrela teve origem num voto de D. Maria I aquando do seu casamento com o infante D. Pedro, em que fundaria um convento de religiosas Carmelitas Descalças se tivesse um filho do sexo masculino. A construção da Basílica teve início em 1779 e foi concluída em 1780, tendo sido classificada como monumento nacional em 1910. Neste local estão sepultados os restos mortais de D. Maria I, a única Monarca da dinastia de Bragança que não se encontra sepultada no Mosteiro de São Vicente de Fora, os quais foram transladados do Brasil para Portugal quando a Família Real regressou a Portugal.

Basílica da Estrela
Joaomartinho63, Wikimedia Commons

Foi em 1760 que foi realizado o voto para construção deste edifício, sendo que a partir de 1761 se depreendia a sua construção dado que neste ano nasce o príncipe D. José. Em 1777 é iniciado o reinado de D. Maria I e neste ano começa o cumprimento do voto efetuado, com a seleção do local para a construção da Basílica da Estrela. Apesar da construção da Basílica ter acontecido dado voto ao nascimento do príncipe D. José, o seu falecimento ocorre em 1788, dois anos antes da conclusão da construção da Basílica.

Esta Basílica foi edificada no estilo tardo-barroco, em época que já se valorizava o estilo neoclássico, apresenta-se como uma igreja basilical de nave única e planta em cruz latina, que apesar de ser realizada em Barroco tardio também já dispunha de elementos neoclássicos.

Altar da Basílica da Estrela
Concierge.2C, Wikimedia Commons

O seu interior constituído em mármore, apresenta uma divisão da nave única em três tramos completados pela capela-mor e por capelas laterais. É possível observar no interior o altar-mor com retábulo alusivo ao mistério do Sagrado Coração de Jesus, o grupo escultórico da Eucaristia e a tela A Ceia, entre outros elementos de importância histórica.

Quanto ao exterior desde logo tem destaque a sua imponente fachada, constituída por um corpo central com um frontão triangular e ladeada por duas torres sineiras com relógios, sendo estas decoradas com estátuas monumentais e figurações alusivas ao mistério do Sagrado Coração de Jesus. Também é existente um zimbório que possibilita ter uma excelente vista para a cidade de Lisboa

Informação Geral

Morada: Praça da Estrela, 1200-667 Lisboa

Horário: Todos os dias: 8h45 às 20h00

Email: webmasterbasilicaestrela@gmail.com

Telefone: (+351) 213 960 915

Website: https://paroquia-da-estrela.webnode.pt/

Transporte: Autocarros 713, 720, 738, 773,774 (Carris) | Elétricos 25E, 28E (Carris) | Linha Amarela – Estação do Rato (Metro)

Mapa

Cronologia

→ 1760-06: Voto de D. Maria no dia do seu casamento com o infante D. Pedro, para a fundação de convento de religiosas Carmelitas Descalças se tivesse um filho varão
→ 1761-08: Nascimento do príncipe D. José, que faleceu em 1788, dois anos antes da conclusão da construção da Basílica
→ 1777: D. Maria I sobe ao trono e é selecionado o local para a construção da Basílica da Estrela
→ 1778: Elaboração do primeiro projeto, pelo que a 16-02-1778 se iniciam as obras de abertura para as fundações
→ 1779: Início da construção
→ 1781: Conclusão da zona conventual e entrada das religiosas no convento
→ 1786: Realização de alterações ao projeto, tais como o alteamento da cúpula e das torres laterais e alteração do perfil do frontão da fachada
→ 1789: Execução do túmulo de Frei Inácio de São Caetano e do túmulo da Rainha D. Maria I
→ 1789-11-15: Sagração da Basílica durante cinco dias
→ 1790: Conclusão das obras de construção
→ 1790-01: Frei Inácio de São Caetano é sepultado no seu túmulo
→ 1821: Transladação do Brasil para Portugal dos restos mortais de D. Maria I e sepultados na Basílica da Estrela
→ 1910: Classificação como Monumento Nacional

Deixar uma resposta

Fechar