Castelo de Almourol

Castelo de Almourol

Situado numa ilhota no meio do Tejo, o Castelo de Almourol é uma das fortificações mais emblemáticas no nosso país. A sua arquitetura romântica e a sua localização no meio do rio conferem-lhe uma beleza incomparável.

A ocupação

Apesar da falta de unanimidade acerca do início da ocupação deste espaço, acredita-se que tenha sido ocupado a partir do século III pelos Alanos e Visigodos, e, mais tarde pelos Muçulmanos. À data da conquista do território por parte de D. Afonso Henriques, já existia uma fortificação denominada Al-morolan.

Vista para o Castelo de Almourol
Afapicarra, Wikimedia Commons

Após a conquista do território, Almourol é doado à Ordem dos Templários, que logo a seguir se encarregaram da reconstrução do castelo. A construção assumiu as mesmas linhas arquitetónicas do Castelo de Tomar, sendo defendido por muralhas altas com nove torres circulares e uma torre da menagem no centro da estrutura.

A extinção da ordem e o romantismo

Com a extinção das ordem dos templários em 1312, todos os seus bens passam para a Ordem de Nosso Senhor Jesus Cristo, ou simplesmente Ordem de Cristo, que tinha sido criada entretanto a pedido do rei D. Dinis.

Daniel Feliciano, Wikimedia Commons

No período que se seguiu, o castelo foi caindo no esquecimento, uma vez que não se encontrava habitado, e sofreu múltiplos danos na sua estrutura aquando do terramoto de 1755. Com a chegada da corrente do romantismo, valorizou-se as obras do passado, e o Castelo de Almourol não foi exceção. Foram introduzidos diversos elementos que não constavam da construção inicial, nomeadamente as ameias e os merlões, conferindo-lhe assim a beleza atual.

Século XX e atualidade

No início do século XX, o Castelo de Almourol recebeu a classificação de Monumento Nacional, registando-se assim a sua importância histórica para o país. Na década de 40 e 50 deu-se a adaptação do castelo a Residência Oficial da República Portuguesa. O castelo foi ainda alvo de intervenção em 2013, quando se deu a manutenção das muralhas e ainda a adaptação de um espaço museológico na torre da menagem.

Interior do Castelo de Almourol, em Vila Nova da Barquinha
Afapicarra, Wikimedia Commons

Informação Geral

Morada: Castelo de Almourol, 2260-403 Vila Nova da Barquinha
Horário: 1 de novembro a 31 de janeiro: das 10h às 13h (última passagem para o Castelo às 12h20) e das 14h30 às 17h00 (última passagem para o Castelo às 16h40) | Fevereiro: das 10h às 13h e das 14h30 às 17h30 | 1 de março a 31 de outubro: das 10h às 13h (última passagem para o Castelo às 12h20) e das 14h30 às 19h30 (última passagem para o Castelo às 18h50)
Website: Câmara Municipal de Vila Nova da Barquinha
Email: geral@cm-vnbarquinha.pt
Telefone: (+351) 249 720 350
Transportes: Acesso através de barco

Mapa

Cronologia

Século III: Primeira ocupação do local
1129: Conquista de Almourol por D. Afonso Henriques
1171: Reconstrução do castelo por parte dos templários
Século XIV: Extinção da Ordem do Templo e integração dos bens na Ordem de Cristo
1755: Danificação da estrutura
Século XIX: Embelezamento da estrutura, seguindo o corrente do romantismo
1910: Classificação como Monumento Nacional
2013: Manutenção das muralhas e adaptação a espaço museológico.

Partilhar

Deixar uma resposta

Fechar