Farol Museu de Santa Marta

Farol Museu de Santa Marta

O Farol Museu de Santa Marta, encontra-se localizado em Cascais, e foi inaugurado em 2007 com a realização de um projeto de musealização do Farol de Santa Marta entre a Marinha Portuguesa e a Câmara Municipal de Cascais. Neste espaço é dada a conhecer a sua história de mais de três séculos, com a apresentação da construção e utilização do Forte de Santa Marta, posterior construção do Farol em 1868 e funcionamento até à automatização em 1981.

O Forte de Santa Marta

A história do Farol Museu de Santa Marta teve início em 1663 com a primeira planta a representar o Forte de Santa Marta, que cruzava fogo com a Cidadela e impedia o acesso à calheta da Ribeira do Mocho, tendo sido construído junto à ermida de Santa Marta que foi possivelmente edificada no Século XV.

O Forte de Santa Marta, foi uma fortaleza que era constituída por três corpos retangulares contíguos de áreas diferentes, projetado para se adaptar à topologia do terreno circundante, e que beneficiava de uma posição estratégica para fins militares, pelo que foi construído com o objetivo de impedir a aproximação de armadas inimigas à zona da baía de Cascais.

Fotografia do Farol Museu de Santa Marta, em Cascais
Jaime Silva, Wikimedia Commons

Enquanto Forte de Santa Marta, foi artilhado e guarnecido em 1707, até que em 1755 sofre diversos estragos causados pelo terramoto de 1755. Após a reparação desses estragos, recebeu também obras de maior dimensão de 1762 e 1763, que se integravam nas grandes obras de fortificações marítimas para proteger Lisboa na Guerra dos Sete Anos. Após esse período, de 1770 a 1790 o Forte degradou-se e perdeu a guarnição, pelo que de 1793 a 1796 foi necessário realizar um novo conjunto de profundas intervenções, para reedificação do forte e ampliação da bateria e dos aquartelamentos, bem como aumentar a sua guarnição. O fim deste espaço enquanto Forte de Santa Marta registou-se a partir de 1844, quando não foi incluído nas Fortificações Dependentes da Praça de Cascais, até ser desativado de funções militares em 1864.

A função como farol

Em 1853, o plano de colocação de boias para marcar os corredores de entrada na barra do Tejo referiu a necessidade de branquear as muralhas do forte e criar uma pilastra ou coluna com uma luz para guiar de noite, enquadrada com o Farol da Guia, bem como em 1861 foi realizado um projeto de melhoria de entrada no porto de Lisboa que sugeriu colocar um aparelho de luz fixa vermelha com alcance de 7 ou 8 milhas. Dado que a posição estratégica do Forte de Santa Marta também se aplicava à navegação, em 1864 foi autorizada a construção de farolim ou luz de porto no Forte.

Fotografia do Farol Museu de Santa Marta, em Cascais
Husond, Wikimedia Commons

Assim, em 1867 o Forte de Santa Marta passou a estar sob a dependência do Serviço de Faróis, com a construção de uma torre e aparelho que funcionava como luz de porto e direção, que se inaugurou no dia 1 de Março de 1868. Em 1908, o Farol recebeu a instalação de aparelho catadióptrico de 5ª ordem, que substituiu o aparelho lenticular, para passar a funcionar como luz de corredor de barra, e que ainda atualmente e mantém. Ainda registou o aumento da torre de 8 metros para 17 metros em 1936, por forma a superar as construções que se encontravam a edificar nas proximidades. As suas últimas alterações ocorreram em 1950 com a instalação de um sinal sonoro, a eletrificação e montagem de um sistema automático de reserva de fonte luminosa em 1953, e por último em 1980 e 1981 a sua automatização com telecontrolo a partir da Central da Direção de Faróis.

A celebração do protocolo entre a Câmara Municipal de Cascais e a Marinha Portuguesa em 2000, deu origem ao Farol Museu de Santa Marta que inaugurou em 2007, para apresentar a sua história e peças do espólio do museu da Direção de Faróis. Neste espaço é também possível visitar as baterias do antigo Forte e aproveitar a vista para o mar e para a Baía de Cascais.

Informação Geral

Morada: Rua do Farol de Santa Marta, 2750-341 Cascais

Horário: Terça-feira a Domingo das 10h00 às 18h00 | Em regime de visita livre de Quarta-feira a Sexta-feira das 11h00 às 12h00 e de Março a Setembro ao 4º Sábado do mês das 11h00 às 13h00 | Encerrado: Segunda-feira

Email: fmsm@cm-cascais.pt

Telefone: (+351) 214 815 328

Website: Câmara Municipal de Cascais

Transporte: Autocarro 427 (Scotturb) | Comboios Linha de Cascais – Estação de Cascais (CP)

Mapa

Cronologia

→ Século XV: Possível fundação da ermida de Santa Marta
→ 1663: Primeira planta do forte, que cruzava fogo com a Cidadela e impedia o acesso à calheta da Ribeira do Mocho
→ 1707: Forte artilhado e guarnecido
→ 1751: Diversas áreas a necessitar de reparação devido ao desgaste de uso
→ 1755: Terramoto causa estragos no edifício dos aquartelamentos, depósito da pólvora e bateria
→ 1762 e 1763: Recuperação do forte, integrada nas grandes obras de fortificações marítimas para proteger Lisboa na Guerra dos Sete Anos
→ 1770 a 1790: Degradação do forte e perda de guarnição
→ 1793 a 1796: Ampliação da bateria e dos aquartelamentos, reedificação do forte e aumento da guarnição
→ 1844: Não inclusão nas Fortificações Dependentes da Praça de Cascais
→ 1853: Plano de colocação de boias para marcar os corredores de entrada na barra do Tejo indica a necessidade de branquear as muralhas do forte e criar uma pilastra ou coluna com uma luz para guiar de noite, enquadrada com o Farol da Guia
→ 1861: Projeto de melhoria de entrada no porto de Lisboa sugere colocar um aparelho de luz fixa vermelha com alcance de 7 ou 8 milhas
→ 1864: Autorização para construção de farolim ou luz de porto no Forte
→ 1867: Conclusão da construção do farol, após ter sido finalizado em 1866 nas Oficinas do Serviço de Faróis
→ 1868-03-01: Inauguração do farol como luz de direção
→ 1908: Conclusão da instalação de aparelho catadióptrico de 5ª ordem, que substituiu o aparelho lenticular, de luz de porto e direção para corredor da barra, que ainda hoje se mantém
→ 1936: Aumento de altura na torre de 8 para 17 metros devido às construções que se efetuavam nas proximidades
→ 1950: Instalação do primeiro sinal sonoro
→ 1953: Eletrificação do farol e montagem de um sistema automático de reserva de fonte luminosa
→ 1980 e 1981: Automatização do farol, com telecontrolo a partir da Central da Direção de Faróis
→ 2003 a 2005: Recuperação do espaço e instalação de áreas museográficas
→ 2007-07-27: Inauguração do Farol Museu de Santa Marta
→ 2008: Menção honrosa nos prémios FAD de Arquitetura em Barcelona

Partilhar

Deixar uma resposta

Fechar