Forte da Feira

Forte da Feira

O Forte da Feira é uma importante estrutura defensiva de Lisboa, situada a norte da cidade na vila de Malveira e foi parte integrante das Linhas de Torres Vedras.

As Linhas de Torres

As Linhas de Torres foram um conjunto de estruturas defensivas que foram desenvolvidas para fazer face às terceiras invasões francesas lideradas pelo marechal André Masséna. Estas linhas defensivas foram propostas pelo comandante-chefe do exército inglês Arthur Wellesley, e consistiam na construção de diversos fortes na zona a norte da cidade de Lisboa, sendo que cada um deles seria guarnecido de militares e canhões. As Linhas de Torres revelaram-se bastante eficazes uma vez que conseguiram suster a 3ª invasão francesa, obrigando à sua retirada no início de 1811.

A construção do Forte da Feira

O Forte da Feira fazia parte da segunda linha defensiva localizada abaixo de Torres Vedras. A designação do forte provém do nome da feira anual para compra e troca de gado que fora intituída por D. Maria I no final do século XVIII. A feira da Malveira é, ainda hoje um local que é visitado semanalmente por fregueses e dispõe de uma grande variedade de produtos.

A construção do forte começou em 1809 e terminou no ano seguinte, estando na altura equipado com 4 bocas de fogo e guarnecido com cerca de 350 homens. O forte foi aberto ao público em 2002, e em 2010 decorreu uma campanha de prospeção arqueológica organizada por um conjunto de entidades, da qual resultou a identificação de vestígios patrimoniais. Foram portanto identificadas as paliçadas aguçadas em madeira localizadas na zona da entrada, que eram utilizadas para aumentar a defesa da estrutura em caso de assalto; identificou-se seis entrâncias na muralha, de onde os canhões abriam fogo; e ainda um sistema de construção subterrâneo.

Fotografia do Forte da Feira, um dos componentes das Linhas de Torres
União de Freguesias de Malveira e São Miguel de Alcainça

Características do Forte da Feira

No forte pode visitar-se o paiol localizado no centro da estrutura. Aqui eram guardadas as munições e explosivos utilizados para defesa, bem como todo o tipo de ferramentas necessárias para a manutenção do forte. O través localizado junto ao paiol era uma construção feita de terra e utilizada para proteção do fogo inimigo. No exterior da fortificação, o fosso com 2 metros de largura e 3 metros de profundidade reforçava e facilitava a defesa da estrutura.

Integração na Rota Histórica das Linhas de Torres

A 7 de julho de 2011 ocorreu a reabertura ao público e deu-se a inclusão do forte no projeto “Rota Histórica das Linhas de Torres”, que tem como objetivo a promoção da história desta estruturas tão importantes para a defesa da cidade de Lisboa. Esta rota histórica divide as diferentes estruturas componentes das Linhas de Torres em diversos percursos que podem ser escolhidos pelos visitantes. O Forte da Feira encontra-se englobado no percurso do Nó das Linhas, onde as estradas de Mafra e de Torres Vedras se encontravam no caminho para Lisboa, sendo o percurso com o maior aglomerado de redutos.

Informação Geral

Morada: Rua do Forte, 2665-245 Malveira

Horário: Aberto 24h

Email: geral@uf-malveira-alcainca.pt

Telefone: (+351) 261 810 100

Website: União das Freguesias de Malveira e São Miguel de Alcainça

Transporte: Sem transporte público

Mapa

Cronologia

→ 1809: Início da construção do forte
→ 1810: Conclusão do forte
→ 1811: Retirada das tropas francesas
→ 2002: Abertura ao público
→ 2010-2011: Intervenção arqueológica
→ 7 de julho de 2011: Reabertura ao público

Partilhar

Deixar uma resposta

Fechar