Forte de São Pedro

Forte de São Pedro

O Forte de São Pedro, está localizado na Ericeira, entre as praias de Mil Regos e Ribeira d’Ilhas, e foi edificado no âmbito da política defensiva definida após a Guerra da Restauração, com a decisão de construção a acontecer devido aos constantes ataques de corsários e piratas e necessidade de proteção da vila da Ericeira. Apesar do atual estado de abandono e inutilização, que se regista há alguns anos, continuam conservados os seus espaços mais importantes, o que permite observar a bateria, compartimentos e a casa-forte.

A construção do forte

Foi em 1646 que a possibilidade de construção do Forte de São Pedro começou a ganhar forma. Em 16 de Maio desse ano, foi convocado e reunido o povo da Ericeira para a Câmara definir a organização de defesa da vila, de modo a fazer face aos constantes saques que sofriam. Assim, em 1670 foi iniciada a construção do Forte de São Pedro, integrada na política defensiva consequente à Guerra da Restauração, que construi e organizou diversas fortalezas em toda a costa, sendo que este Forte também evitava desembarques na baía de Ribeira de Ilhas e defendia a vila da Ericeira e o porto piscatório.

A conclusão da construção do Forte de São Pedro aconteceu em 1675, no entanto não se encontrava artilhado e guarnecido, o que veio a acontecer em 1680 e possibilitou o início do seu funcionamento. Em 1751, identificou-se a necessidade de reconstrução do Forte, visto que apresentava diversos danos devido ao Inverno rigoroso, o que aconteceu após o Terramoto de 1755, que também causou estragos no espaço.

Apesar de o Forte ter sido desmantelado e desguarnecido em 1806, e em 1821 ter sido registado o estado de ruína, foi decidido recuperar a estrutura para reiniciar a sua atividade de defesa. Deste modo, em 1831 e 1832 são realizadas as obras de recuperação, para que em 1832 seja artilhado e guarnecido por tropas miguelistas, em estado de prontidão e a aguardar no local o desembarque dos liberais, que no entanto não veio a acontecer neste ponto da costa.

Recuperação e esquecimento

O Forte de São Pedro volta ao abandono após 1853, com a sua degradação a acentuar-se ao longo dos anos, sendo que em 1872 é retirada a artilharia que ainda se encontrava no local e são utilizadas as lajes do Forte para o restauro da Igreja de São Pedro. Este estado de abandono era possível verificar com o desabamento de partes da muralha, que aconteceram em 1883, 1886 e 1896, apesar a Guardar fiscal instalar-se no Forte em 1891.

As muralhas voltaram a ser construídas e recuperadas com a realização de obras em 1940, 1984 e 2001, no entanto o Forte não voltou a ter qualquer tipo de utilização, deixando de ser considerado fortificação militar em 1941. Ao longo dos anos, desde 1946 a 1992, foram propostos diversos projetos de utilização do espaço, tais como pousada, casa de chá, restaurante e café, mas nunca vieram a concretizar-se.

Assim, é possível observar o Forte de São Pedro no seu estado de abandono e inutilização, em que continuam conservados diversos dos seus espaços. Este é um Forte de planta retangular, constituído por uma bateria e duas guaritas cilíndricas com cobertura cónica, parapeito com cinco canhoneiras e baluartes virados a terra. Através da sua escadaria lateral é estabelecido o acesso ao terraço sobre a casa-forte, onde era possível a defesa de tiro de fuzil.

Informação Geral

Morada: Estrada Nacional 247, Mil Regos, 2655-319 Ericeira

Horário: 24h

Email: jfericeira@mail.telepac.pt

Telefone: (+351) 261 862 982

Website: Junta de Freguesia da Ericeira

Mapa

Cronologia

→ 1646: Decisão de organizar a defesa da vila da Ericeira contra os mouros que saqueavam a costa
→ 1670: Início da construção do Forte
→ 1675: Conclusão do Forte, no entanto sem artilharia e guarnição
→ 1680: Pedido de escusa do serviço real para os moradores da vila, de modo a guarnecerem o Forte
→ 1751: Identificada a necessidade de reconstrução do Forte devido a Inverno rigoroso que causou estragos
→ 1755: Novas obras de recuperação após estragos causados pelo terramoto de 1755
→ 1806: Forte desmantelado e desguarnecido
→ 1821: Abandono e estado de ruína
→ 1831 – 1832: Realização de obras de recuperação
→ 1832: Forte artilhado, com as tropas miguelistas no local a aguardar o desembarque liberal
→ 1853: Retirada a artilharia e abandono do Forte
→ 1872: Retirada a artilharia que ainda se encontrava no Forte e utilizadas as lajes do Forte para o restauro da Igreja de São Pedro
→ 1883, 1886, 1896: Desabamento de parte da muralha
→ 1891: Guarda Fiscal instala-se no Forte
→ 1940, 1984 e 2001: Obras de recuperação da muralha
→ 1941: Forte deixa de ser considerado fortificação militar

Partilhar

Deixar uma resposta

Fechar