Forte do Zambujal

Forte do Zambujal

O Forte do Zambujal, também designado de Forte das Casas Velhas, está localizado junto à povoação do Zambujal, do concelho de Mafra, pelo que a sua posição tinha como objetivo defender o desfiladeiro de Fonte Boa da Brincosa, o vale da Senhora do Porto ou Senhor do Ó e a Estrada da Carvoeira. A sua missão de defesa integrava as 152 fortalezas que foram construídas em 1809 e 1811, para proteger Lisboa da 3.ª Invasão Napoleónica.

As Linhas de Torres

As Linhas de Torres foram um conjunto de estruturas defensivas que foram desenvolvidas para fazer face às terceiras invasões francesas lideradas pelo marechal André Masséna. Estas linhas defensivas foram propostas pelo comandante-chefe do exército inglês Arthur Wellesley, e consistiam na construção de diversos fortes na zona a norte da cidade de Lisboa, sendo que cada um deles seria guarnecido de militares e canhões. As Linhas de Torres revelaram-se bastante eficazes uma vez que conseguiram suster a 3ª invasão francesa, obrigando à sua retirada no início de 1811.

Este Forte pertencia à 2ª Linha Defensiva das Linhas das Torres, no núcleo da Carvoeira, que controlava a estrada entre a Ericeira e Sintra, defendia as praias do Lisandro e São Julião e apoiava a frota inglesa. Estas funções a partir do Forte do Zambujal eram possíveis com a sua guarnição constituída por 250 homens e peças de artilharia que se encontravam instaladas.

Características

A arquitetura deste forte era uma das mais elaboradas, face aos fortes que também integravam a 2ª Linha Defensiva, com uma planta composta, constituída por reduto central em polígono irregular de seis lados e bateria avançada, em que a sua ligação era efetuada por um túnel escavado na rocha. Ainda se encontrava rodeado por um fosso de proteção, o qual também foi escavado na rocha.

Câmara Municipal de Mafra

Na construção do Forte, que aproveitou os recursos naturais existentes, também se observa a utilização de pedra, no acesso amuralhado, no interior do reduto e na bateria. Estas áreas encontravam-se cobertas por construção de terra, que também foi utilizada nas muralhas e ao redor dos fossos, permitindo proteger os combatentes nas situações de fogo inimigo. Na área da bateria estavam montadas duas peças de artilharia, em que nesta plataforma abriam-se quatros canhoneiras no parapeito, bem como era existente uma plataforma em madeira.

No Forte do Zambujal é possível visitar as suas áreas e conhecer os quatros elementos de destaque, sendo estes o paiol, través, túnel e canhoneira. No través verifica-se as construções de terra que protegiam do fogo inimigo, no paiol observa-se o local utilizado para armazenagem de explosivos e munições, é possível conhecer o túnel escavado na rocha que efetua a ligação do reduto central à bateria, e assim por último estar nas canhoneiras com as aberturas onde se colocavam as bocas de fogo.

Informação Geral

Morada: Estrada Municipal 549, Zambujal, Carvoeira, Mafra

Horário: 24h

Email: arqueologia@cm-mafra.pt

Telefone: (+351) 261 819 711

Website: Câmara Municipal de Mafra

Mapa

Cronologia

→ 1799: Napoleão Bonaparte ascende ao poder em França
→ 1807: França e Espanha assinam tratado prevendo a invasão e divisão de Portugal. Tropas francesas entram em Portugal, que pede apoio a Inglaterra
→ 1808: Tropas luso-britânicas vencem os franceses
→ 1809: Tropas francesas efetuam uma segunda invasão, pelo que se decide criar a defesa a Lisboa. Início da construção do forte
→ 1810: Conclusão do forte
→ 1811: Retirada das tropas francesas
→ 1814: Napoleão abdica do poder

Partilhar

Deixar uma resposta

Fechar