Igreja Matriz de São Lourenço

Igreja Matriz de São Lourenço

A Igreja Matriz de São Lourenço está situada na freguesia de Alhos Vedros, a qual pertence ao concelho da Moita, é uma igreja de nave única constituída por cinco capelas laterais e capela-mor. A construção da Igreja é indicada para a hipotética data do século XIII e a sua fundação possivelmente aconteceu no final desse século.

Ao longo dos anos a Igreja sofreu alterações profundas, pelo que não há qualquer vestígio da sua construção primitiva. As alterações que ocorreram resultaram num conjunto estilístico heterogéneo, em que se destaca a coleção de azulejos existentes, que o seu período de criação e colocação decorre da primeira metade do século XVI até ao século XVIII.

Características

Neste espaço de culto há diversos detalhes possíveis de admirar. A nave possui um teto de madeira com caixotões de policromia, com pinturas ornamentais setecentistas, onde estão representadas cenas da vida de S. Lourenço. O interior da nave apresenta uma arquitetura do século XVII, com revestimento das paredes em azulejo de 1749, onde se observam passagens da pregação e martírio de S. Lourenço. A altar da capela-mor é em talha dourada, de estilo nacional e as paredes revestidas em painéis de azulejos do século XVIII.

As capelas

As cinco capelas laterais, do lado da Epístola a Capela de S. Sebastião, a Capela de Santo António e a Capela de S. João Baptista, e do lado do Evangelho a Capela de Nossa Senhora do Rosário e a Capela de Nossa Senhora dos Anjos, também contam com diversos elementos arquitetónicos e artísticos.

A Capela de S. Sebastião, fundada no final do Século XV por Pero Vicente, apresenta as paredes revestidas em azulejos de 1732 e tem três arcas tumulares, onde se destaca a de Fernão do Casal com estátua jacente. A Capela de Santo António, do século XVI, apresenta dois painéis de azulejos do século XVIII alusivos ao martírio do Santo. A Capela de S. João Baptista, fundada no segundo quartel da primeira metade do século XVI por Pero Gomes de Faria, tem as paredes revestidas em azulejos hispano-árabes ou sevilhanos da primeira metade do século XVI e uma abóbada de nervuras em estilo manuelino.

A Capela de Nossa Senhora do Rosário, em que a sua construção aconteceu possivelmente no século XVII, apresenta dois painéis de azulejos do século XVIII, bem como um frontal de altar com uma réplica recente de um painel de azulejos tipo tapete do século XVII. A Capela de Nossa Senhora dos Anjos exibe um lambrim de azulejos do Século XVII e no altar a imagem em pedra de Nossa Senhora com o Menino ao colo datada do final do Século XV.

Informação Geral

Morada: Largo da Igreja, 2860-037 Alhos Vedros

Email: geral@diocese-setubal.pt

Telefone: (+351) 212 040 110

Website: Diocese de Setúbal

Transporte: Autocarros 318, 330, 410 (TST)

Mapa

Cronologia

→ Século XIII: Possível data de construção
→ 1320: D. Dinis ordena à Igreja de São Lourenço a contribuição com 90 libras para subsidiar a guerra contra os mouros
→ 1477: Pêro Vicente manda construir a Capela de São Sebastião
→ 1ª década do século XVI: Época dos azulejos hispano-árabes que revestem a Capela de São João Baptista
→ Início do século XVI: Fundação da Capela de Nossa Senhora dos Anjos
→ Século XVII: Época dos azulejos de padrão policromos existentes na Capela de Nossa Senhora dos Anjos
→ Século XVIII: Época dos azulejos de composição figurativa existentes na Capela-mor, Capela Gótica, Capela da Nossa Senhora do Rosário e Batistério
→ 1730: Colocados os azulejos de composição figurativa na Capela de São Sebastião
→ 1749: Data dos azulejos das paredes da nave
→ 1834: O priorado da igreja pertenceu à Ordem de Santiago até esta data
→ 1910: Encerramento e abandono da igreja
→ 1911-06-14: Inventário dos bens da igreja, que ficam em posse da Junta da Paróquia de Alhos Vedros
→ 1923: Venda dos bens da igreja
→ 1931: Entrega da igreja a Corporação para promover e sustentar o culto católico
→ 1932 a 1946-10: Reabertura da igreja ao culto

Partilhar

Deixar uma resposta

Fechar