Sé de Lisboa

Sé de Lisboa

A Sé de Lisboa, também denominada de Igreja de Santa Maria Maior, é um dos monumentos icónicos e mais conhecidos da cidade de Lisboa. A sua longa história e a sua beleza arquitetónica fazem com que a Sé seja um dos monumentos de visita obrigatória para qualquer pessoa que visite Lisboa.

A construção da Sé de Lisboa deu-se logo após a reconquista de Lisboa por parte de D. Afonso Henriques em 1147 e foi concluída nos primeiros anos do século XIII, tendo sido escolhido o local onde anteriormente estava instalada uma mesquita muçulmana. Na altura, a Sé de Lisboa apresentava já uma arquitetura muito parecida com a da Sé de Coimbra, construída anteriormente no ano de 1146.

As obras que se seguiram, nomeadamente o claustro e a cabeceira da igreja, foram construídas nos séculos que se seguiram, durante o reinado de D. Dinis e Afonso IV respetivamente. D. Afonso IV quis que esta cabeceira servisse como panteão da família real, tendo expressado a sua vontade por testamento de ser aqui sepultado após a sua morte. Ainda hoje se pode visitar o seu túmulo e o da rainha D. Beatriz nas instalações da igreja.

Interior da Sé de Lisboa
Diego Delso, Wikimedia Commons

Ao longo dos anos foram feitas modificações de modo a conseguir acolher mais peregrinos que se deslocavam ao local para visitar as relíquias de S. Vicente. É nesta altura que são pintados os painéis de S. Vicente, um retábulo da autoria de Nuno Gonçalves, e que pode ainda hoje ser visitado no Museu Nacional de Arte Antiga.

Apesar das obras desenvolvidas ao longo destes séculos, quase nada restou após o terramoto de 1755. Esta catástrofe que assolou o país e em especial Lisboa, deixou um rasto de destruição enorme na estrutura da igreja, tendo sido destruído o claustro, a Capela do Santíssimo, a torre sul e os túmulos reais.

Claustro da Sé de Lisboa
Fulviusbsas, Wikimedia Commons

Os anos que se seguiram foram portanto de reconstrução e redecoração da Sé, tendo sido introduzidos elementos de estilo barroco. Estes elementos foram mais tarde removidos aquando da grande campanha de restauro feita na primeira metade do século XX. Este restauro tinha como principal objetivo a recuperação da aparência medieval da Sé. As obras desenvolvidas por Augusto Fuschini devolveram alguns elementos medievais com traços de neogótico, tendo António do Couto Abreu continuado mais tarde o seu trabalho, contribuindo para o estilo neoromântico evidente no edifício e na reconstrução da abóbada da nave central em 1940.

Informação Geral

Morada: Largo da Sé, 1100-585 Lisboa

Horário: Segunda-feira a Sábado: 9h00 às 19h00 | Domingo: 9h00 às 20h00

Telefone: (+351) 218 866 752

Transporte: Autocarro 737 (Carris) | Eléctrico 12E, 28E (Carris) | Linha Azul – Estação do Terreiro do Paço – 500 metros a pé

Mapa

Cronologia

→ 1147: Conquista de Lisboa e início da construção
→ Século XIII-XIV: Construção do claustro
→ 1345: Testamento de Afonso IV
→ 1470: Retábulo de S. Vicente
→ 1755: Danos graves na estrutura
→ 1ª metade do século XX: Grandes obras de restauro
→ 1940: Reconstrução da abóbada

Partilhar

Deixar uma resposta

Fechar